Nota à ELV: Alinhamentos Coletivos - No Êxtase da Transcendência


Como sintonização e preparação para a descida de energia no Solstício (21.12), a Equipe Nazcan nos sugeriu uma série de alinhamentos em datas e horário específicos. Em todos estes alinhamentos, somos chamados a nos abrirmos, sintonizarmos, ressoarmos o Êxtase da Transcendência, que é a essência do impulso que se instala no planeta neste Solstício.
Lembrando que este solstício verá - como em todo solstício - a recepção por parte da Terra de um fluxo energético potente vindo do Sol, sendo que neste Solstício (cuja tônica é o Fogo no hemisfério Sul e Terra no hemisfério Norte) este fluxo traz a energia do Centro Planetário Inturi-Kertena.

Seguem as datas e horários (horário de Brasília) e algumas orientações da Mãe de chaves mântricas que podem ser utilizadas:

Sexta 28.11.14 19h

Terça 02.12.14 19h

Domingo 07.12.14 19h

Segunda 15.12.14 19h

Chaves Mântricas:

"No Êxtase da Transcendência, Eu Sou o que Sou".

"Aham Sat-Chit-Ananda Om".

"Vash Navaitá Aní Maritumi".

Asul 01.11.14 - A Dinâmica da Cura 2

No Eyes 01.11.14 - Ação Reta e a Clara Visão


Clique aqui para fazer o download do áudio.

Clique aqui para fazer o download da transcrição (PDF).

"... Enquanto vossa visão se encontra presa aos fenômenos aparentes, enquanto sua visão permanece presa à falsa premissa da limitação, do sofrimento, o que poderá ser então manifestado que não seja isso? Caminhem em direção ao cristal em vosso interior, toquem o cristal e dissipem o véu. Aquilo com o qual vocês se alinham, aquilo com o qual vocês ressoam, aquilo para onde vocês dirigem sua atenção, é o que determina o que vocês criam para vocês. E aqui eu não estou falando somente da cerca, do cercado limitado de sua vivência enquanto um corpo. Eu me refiro ao papel sagrado de cada um de vocês enquanto co-criadores da realidade planetária..."

No Eyes

Mãe Divina 26.10.14 - Sede Portadores da Paz


Clique aqui para fazer o download do áudio.

Paz! Paz a todos os seres! Paz! Paz! Desde o coração cristalino da humanidade, minha voz ecoa, meu Espírito flamejante se expande. O manto de meu corpo, vibrante e elétrico, circunda, envolve cada estrutura, cada corpo, cada radiância, cada Rede em fusão.  
O corpo do planeta é meu corpo e o reconhecimento desta nossa íntima ligação vos conduz a me reconhecer como vossa Mãe Divina. Pois hoje minha voz não se enleva apenas do coração cristalino da Terra, minha voz se eleva do coração cristalino de meus filhos e filhas, centelhas vivas de meu Espírito ígneo, sopros de meu ventre vivificador, regenerador e frutificador.
Bênçãos, bênçãos que se derramam sobre este planeta, porque vossa presença se instala aqui e agora. Porque vossa presença assim instalada é a porta de meu retorno completo a este mundo.
O planeta é meu corpo, mas o mundo é vossa criação. E eu respeito vossa liberdade e eu respeito vossa atuação em meu cosmos. Vosso mundo, no entanto, também é constituído de minhas células, de meus átomos. Vós sois minhas células e átomos.
Compreendais, filhos da Graça, que tudo responde a meu canto, mesmo quando parece estar tão distante do sopro de minha graça, do manto de minha regeneração. Tudo conflui para o centro de meu Centro e tudo responde àquilo que vibra no centro de meu Centro. 
O centro de meu Centro não está em nenhum lugar. Meu centro de meu Centro é vosso centro. O centro de meu Centro é o centro de tudo que há, portanto minha presença é a presença do universo. Minha presença é a presença de tudo. Como podeis estar distante de mim, quando na verdade sois o que eu sou?
Sendo o que eu sou, vós compartilhais desta potência criadora. Sendo o que eu sou, este mundo a vosso cargo está. E a vosso cargo está a transformação desta realidade para que ela se alinhe àquilo que o centro de nosso Centro ecoa e entoa. 
Para este dia, para este dia de vosso tempo, eu vos relembro: Paz! Paz! Paz! Pois quando o mundo se encrespa na tormenta, quando este cenário, que é vosso barco temporário, se constrange e se retorce sob o furor e a força dos ventos da mudança, eu vos relembro, o vento é Paz.  O oceano é calmaria. Onde está a contenda? Onde está o conflito? Senão naqueles que respondem com medo ao toque da Graça.
Vosso papel, no entanto, não é apontar o medo. Vosso papel, no entanto, não deve ser de propagar a sombra, não deve ser de propagar o conflito. Vosso papel como portadores lúcidos da Graça – porque todos portam a minha graça, embora muitos ainda não estejam completamente conscientes disto – vosso papel é propagar a paz, vosso papel é apontar aquilo que surge como aurora implacável neste mundo que vocês mesmos ajudaram a construir e que agora ajudam a transformar. 
Meu ventre é um caldeirão onde todos os elementos se agrupam e se reagrupam. Vosso mundo coexiste neste caldeirão em meio a uma infinidade de outros mundos. Mundos que se tocam, mundos que se interpenetram, mundos que ciclicamente se fusionam e dão nascimento a um mundo completamente novo. 
Este planeta abriga alguns mundos que se fusionam neste final de ciclo, em especial uma realidade subjacente a todos os mundos, que mais uma vez deve ser reconhecida como o Centro, deve ser reconhecida como a base e o firmamento de qualquer existência. 
Reconheçam a fusão e não a destruição. Reconheçam a transição e não a ruptura. Reconheçam a dança magnífica e perfeita, porque vossa vida é paz, vossa presença é graça, vosso poder é criação. Reconhecendo a mim em vossa essência, vossos dons são vistos com mais clareza e vossa ação manifesta neste mundo, portanto, se expressará de acordo com o canto do centro de meu Centro, que é vosso centro.
Eu não me apresento a vós como uma figura externa, como uma autoridade superior, como entidade distante, extra-cósmica. A voz que neste momento ecoa por este corpo é a voz de vosso coração. É apenas a dança ainda um tanto distorcida dos espelhos deste mundo que pedem a necessidade de que eu me manifeste através de um ou outro filho de maneira mais objetiva, mais direta.
Não para que vocês criem em seu campo de imaginação uma personalidade para mim, que sou a única personalidade universal, mas para que vocês sigam o impulso de olhar para o seu próprio coração e me reconhecer em vós, como vós. 
Vós sois meus poder criador, minha vida pacífica. Vós sois minha graça atuante e regenerante. Eu sou em vós como vós sois em mim e neste dia eu convido a que os pilares da paz, as portas da graça reafirmem esta posição, centrem-se neste serviço, porque quando o mundo se confrange sob o peso aparente da turbulência e da tempestade, é aí que vocês encontram uma porta para perceber a realidade que desponta no horizonte interno e externo. 
Aurora que trás sob suas asas cura e regeneração. Aurora que se espalhará por toda a Terra, dissipando toda sombra da ignorância, do medo e do esquecimento. Esta aurora é nossa Luz. Esta aurora é vossa Luz, nossa única radiância em expansão, em fusão, em acolhimento, penetrando os interstícios deste mundo, vossa criação, minha criação, para transformar, regenerar e fazer surgir mais uma face d’Aquilo.
A relembrança é meu dom, a firmeza é meu presente, a graça é o manto que eu deposito em vosso corpo. Sintam-no, vibrem-no. Vós sois as centelhas vivas atuantes, regeneradoras deste mundo. Acolhamo-nos mutuamente nesta dança aparente de interação. Por sob esta dança, nossa única verdade é o Um.

Transcrição feita por colaboradores da ELV.
Mensagem canalizada por Selén - http://www.escolaluzviva.com.br/